"A epidemia na nossa região praticamente começou agora". A afirmação é do professor de epidemiologia e saúde coletiva da Universidade Federal de Alfenas, Marcos Bissoli. Para ele, o cenário ainda é de incertezas. 

Ele explica que estamos no auge da pandemia na região e as curvas de casos influenciam as ações e cuidados da população. "Enquanto em alguns locais no Brasil, que têm aeroportos, que têm portos, a curva começou primeiro e talvez comecem a descer primeiro, as nossas começaram depois, as nossas curvas têm um atraso de início e obviamente teremos um atraso de fim. 

A epidemia na nossa região praticamente começou agora. Nós tivemos muitos cuidados talvez no início, quando ela ainda estava chegando no Brasil, estava longe de chegar aqui e agora nós achamos que nós estamos imunes e nós não estamos, a epidemia está começando agora", disse o pesquisador. 

Doze cidades do Sul de Minas seguem sem nenhum caso registrado de Covid-19 após mais de quatro meses do primeiro caso registrado na região. Mas este número vem ficado menor a cada dia. Nesta quarta-feira (29/07), Sapucaí-Mirim e São Sebatião do Rio Verde tiveram os primeiros casos confirmados pelo Estado. 

Dom Viçoso (acima) e Soledade (abaixo) ainda não tiveram casos / Fotos: Google


Há dois meses, no Sul de Minas, 73 cidades não tinham nenhum caso confirmado de Covid-19. Nesse período, 61 delas registraram os primeiros casos da doença. As cidades que não registraram casos da doença têm em comum o pequeno número de moradores, o que pode representar uma menor circulação de pessoas. Mas essa não é uma característica que funciona sozinha para a prevenção, já que outras cidades com esse perfil registraram casos do novo coronavírus. 

Por enquanto não registraram nenhum caso os seguintes municípios: Alagoa Areado Carvalhos Consolação Dom Viçoso Fama Gonçalves Liberdade Marmelópolis São Tomé das Letras Seritinga Soledade de Minas.

Para o professor da Unifal, a cooperação das pessoas é essencial para que o vírus não se espalhe. "Esses municípios que ainda não apresentam a doença, muito provavelmente vão apresentar a doença em breve, a não ser que tenhamos um coletivo de mudança de postura na sociedade mineira e do Sul de Minas", disse o professor.

Com informações da EPTV

Publicidade


'A EPIDEMIA COMEÇOU AGORA NO SUL DE MINAS' AVALIA PROFESSOR DA UNIFAL SOBRE COVID-19


"A epidemia na nossa região praticamente começou agora". A afirmação é do professor de epidemiologia e saúde coletiva da Universidade Federal de Alfenas, Marcos Bissoli. Para ele, o cenário ainda é de incertezas. 

Ele explica que estamos no auge da pandemia na região e as curvas de casos influenciam as ações e cuidados da população. "Enquanto em alguns locais no Brasil, que têm aeroportos, que têm portos, a curva começou primeiro e talvez comecem a descer primeiro, as nossas começaram depois, as nossas curvas têm um atraso de início e obviamente teremos um atraso de fim. 

A epidemia na nossa região praticamente começou agora. Nós tivemos muitos cuidados talvez no início, quando ela ainda estava chegando no Brasil, estava longe de chegar aqui e agora nós achamos que nós estamos imunes e nós não estamos, a epidemia está começando agora", disse o pesquisador. 

Doze cidades do Sul de Minas seguem sem nenhum caso registrado de Covid-19 após mais de quatro meses do primeiro caso registrado na região. Mas este número vem ficado menor a cada dia. Nesta quarta-feira (29/07), Sapucaí-Mirim e São Sebatião do Rio Verde tiveram os primeiros casos confirmados pelo Estado. 

Dom Viçoso (acima) e Soledade (abaixo) ainda não tiveram casos / Fotos: Google


Há dois meses, no Sul de Minas, 73 cidades não tinham nenhum caso confirmado de Covid-19. Nesse período, 61 delas registraram os primeiros casos da doença. As cidades que não registraram casos da doença têm em comum o pequeno número de moradores, o que pode representar uma menor circulação de pessoas. Mas essa não é uma característica que funciona sozinha para a prevenção, já que outras cidades com esse perfil registraram casos do novo coronavírus. 

Por enquanto não registraram nenhum caso os seguintes municípios: Alagoa Areado Carvalhos Consolação Dom Viçoso Fama Gonçalves Liberdade Marmelópolis São Tomé das Letras Seritinga Soledade de Minas.

Para o professor da Unifal, a cooperação das pessoas é essencial para que o vírus não se espalhe. "Esses municípios que ainda não apresentam a doença, muito provavelmente vão apresentar a doença em breve, a não ser que tenhamos um coletivo de mudança de postura na sociedade mineira e do Sul de Minas", disse o professor.

Com informações da EPTV

Publicidade