SAÚDE FOI O TEMA MAIS DISCUTIDO DURANTE SESSÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL - O Popular.net

A saúde foi um dos assuntos mais discutidos na noite desta segunda-feira. O motivo foi o requerimento apresentado pelo vereador Natanael Paulino de Oliveira (PPS), que questionou a Prefeitura sobre o tamanho das filas nos postos e no pronto socorro da cidade. Ele também solicitou ao Poder Executivo, entre outras coisas, o número de médicos e dentistas em atendimento no município, de consultas que precisam ser realizadas e qual a demanda reprimida de exames. “Não se pode deixar passar em branco a situação da saúde do jeito que está. 

Assista a sessão (Desligue a rádio cidade no topo da tela!)


As filas estão enormes, logo de manhã, e isso tem que acabar. Por isso o requerimento. Nós precisamos de números para saber o que fazer, para poder sentar com o Executivo e encontrar uma solução. Nós, vereadores, queremos ajudar”, declarou Natanael. Já na Ordem do Dia, foi aprovado o Decreto Legislativo 255/2017, de autoria de Renato Motta de Carvalho (PT do B), que concede o título de Cidadão Honorário de São Lourenço a José Eurico da Silva. “É uma pessoa muito querida, um dos moradores mais carismáticos de nossa cidade. Sempre com sorriso aberto, voz poderosa, brincadeiras animadas e disposto a um pãozinho com manteiga”. Ele também faz uma grande diferença no trabalho que desenvolve dentro da comunidade católica”, concluiu o vereador. Mais conhecido como Zé Eurico, o homenageado receberá o título em data ainda a ser definida. 

É natural de São Paulo, mas se mudou aos dois meses de idade, em 1952, para São Lourenço, onde é proprietário de uma padaria. É casado e tem três filhos. Na sessão, ainda entrou em pauta o projeto de lei 2.845, do vereador Evaldo Ambrósio (PROS). O documento prevê que o proprietário de qualquer loteamento em São Lourenço fique obrigado a identificar todas as ruas, alamedas e logradouros, de acordo com a legislação municipal vigente. “Outros município da nossa região já estão aplicando essa lei, pois muitas vezes as prefeituras não dispõem de uma verba específica pra colocar as placas em vias novas. 

Então nada mais justo de que isso fique sob a responsabilidade do empreendedor, aliviando o Poder Executivo e melhorando até mesmo o acesso dos Correios a esses locais”, explicou o vereador. A Comissão de Legislação, Justiça e Redação Final tem 45 dias para emitir o parecer. Somente depois, o projeto entrará em votação.

Com informações da ASCOM/CMSL

SAÚDE FOI O TEMA MAIS DISCUTIDO DURANTE SESSÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL


A saúde foi um dos assuntos mais discutidos na noite desta segunda-feira. O motivo foi o requerimento apresentado pelo vereador Natanael Paulino de Oliveira (PPS), que questionou a Prefeitura sobre o tamanho das filas nos postos e no pronto socorro da cidade. Ele também solicitou ao Poder Executivo, entre outras coisas, o número de médicos e dentistas em atendimento no município, de consultas que precisam ser realizadas e qual a demanda reprimida de exames. “Não se pode deixar passar em branco a situação da saúde do jeito que está. 

Assista a sessão (Desligue a rádio cidade no topo da tela!)


As filas estão enormes, logo de manhã, e isso tem que acabar. Por isso o requerimento. Nós precisamos de números para saber o que fazer, para poder sentar com o Executivo e encontrar uma solução. Nós, vereadores, queremos ajudar”, declarou Natanael. Já na Ordem do Dia, foi aprovado o Decreto Legislativo 255/2017, de autoria de Renato Motta de Carvalho (PT do B), que concede o título de Cidadão Honorário de São Lourenço a José Eurico da Silva. “É uma pessoa muito querida, um dos moradores mais carismáticos de nossa cidade. Sempre com sorriso aberto, voz poderosa, brincadeiras animadas e disposto a um pãozinho com manteiga”. Ele também faz uma grande diferença no trabalho que desenvolve dentro da comunidade católica”, concluiu o vereador. Mais conhecido como Zé Eurico, o homenageado receberá o título em data ainda a ser definida. 

É natural de São Paulo, mas se mudou aos dois meses de idade, em 1952, para São Lourenço, onde é proprietário de uma padaria. É casado e tem três filhos. Na sessão, ainda entrou em pauta o projeto de lei 2.845, do vereador Evaldo Ambrósio (PROS). O documento prevê que o proprietário de qualquer loteamento em São Lourenço fique obrigado a identificar todas as ruas, alamedas e logradouros, de acordo com a legislação municipal vigente. “Outros município da nossa região já estão aplicando essa lei, pois muitas vezes as prefeituras não dispõem de uma verba específica pra colocar as placas em vias novas. 

Então nada mais justo de que isso fique sob a responsabilidade do empreendedor, aliviando o Poder Executivo e melhorando até mesmo o acesso dos Correios a esses locais”, explicou o vereador. A Comissão de Legislação, Justiça e Redação Final tem 45 dias para emitir o parecer. Somente depois, o projeto entrará em votação.

Com informações da ASCOM/CMSL