SECRETÁRIO DE SAÚDE DE SÃO LOURENÇO FALA SOBRE ATUAL SITUAÇÃO DO CENTRO VIVA A VIDA - O Popular.net

Após o assunto tomar conta das redes sociais e das ruas de São Lourenço-MG, informando sobre um possível fechamento ou encerramento das atividades do Centro Viva a Vida, hoje renomeado para CEAE (Centro Estadual de Atendimento Especializado) que pela lógica atenderia mulheres, homens e crianças não somente da estância hidromineral, mas também de diversas cidades da micro região de São Lourenço, o secretário municipal de saúde, Cid Pinheiro de Oliveira, resolveu abrir a "caixa preta" do centro em entrevista ao Popular.net e falar sobre a atual situação do Viva a Vida e as providências que estão sendo tomadas.

Cid Pinheiro enfatizou que o centro não foi fechado, mas também não está funcionando da forma como deveria e para que as atividades não fossem encerradas, porém foram restringidas apenas a moradores de São Lourenço, ou seja: O Viva a Vida, até segunda ordem, não atende mais pacientes provenientes de outros municípios.

Assista ao video (Desligue a Rádio Cidade no topo da tela!)



O secretário explicou, que desde de o início do ano, o Governo do Estado de Minas Gerais, não tem repassado os recursos para manter as atividades do centro, ficando tudo ao encargo do município, que acaba tendo que se desdobrar para custear as despesas sozinho, visto que o projeto do Viva a Vida, ou CEAE é um projeto do governo de Minas, ou seja, estadual. Cid Pinheiro destacou que antes de São Lourenço tomar a decisão de restringir os serviços, houveram diversas tentativas de acordo com os 24 municípios que utilizam o centro e que juntos enviam cerca de 2.500 pacientes para o projeto, porém, nenhum deles aceitou o rateio para custear as despesas do tratamento, ou seja, todos querem usar, não querem que feche, porém também encontram-se impossibilitados de ajudar, o que para a nossa reportagem, foi uma surpresa, visto que estes pacientes, que necessitam dos tratamentos do Viva a Vida, não poderão ser mais atendidos, um verdadeiro descaso para com a saúde destes pacientes que deveria ser por obrigação prioridade para cada uma destas cidades e seus governantes.

Em tempo, Cid Pinheiro citou que ainda não existem previsões para que o funcionamento do CEAE volte a normalidade em São Lourenço, que está dependente dos repasses atrasados por mais de quatro meses pelo estado, já que não houve acordo com as cidades da micro região de São Lourenço que abrange os municípios de São Lourenço, Aiuruoca, Alagoa, Baependi, Carmo de Minas, Carvalhos, Caxambu, Conceição do Rio verde, Cristina, Cruzília, Dom Viçoso, Itamonte, Itanhandu, Jesuânia, Lambari, Minduri, Olímpio Noronha, Passa Quatro, Pouso Alto, São Sebastião do Rio Verde, Seritinga, Serranos, Soledade de Minas, Virgínia.

Da Redação do Popular.net

 Publicidade

SECRETÁRIO DE SAÚDE DE SÃO LOURENÇO FALA SOBRE ATUAL SITUAÇÃO DO CENTRO VIVA A VIDA


Após o assunto tomar conta das redes sociais e das ruas de São Lourenço-MG, informando sobre um possível fechamento ou encerramento das atividades do Centro Viva a Vida, hoje renomeado para CEAE (Centro Estadual de Atendimento Especializado) que pela lógica atenderia mulheres, homens e crianças não somente da estância hidromineral, mas também de diversas cidades da micro região de São Lourenço, o secretário municipal de saúde, Cid Pinheiro de Oliveira, resolveu abrir a "caixa preta" do centro em entrevista ao Popular.net e falar sobre a atual situação do Viva a Vida e as providências que estão sendo tomadas.

Cid Pinheiro enfatizou que o centro não foi fechado, mas também não está funcionando da forma como deveria e para que as atividades não fossem encerradas, porém foram restringidas apenas a moradores de São Lourenço, ou seja: O Viva a Vida, até segunda ordem, não atende mais pacientes provenientes de outros municípios.

Assista ao video (Desligue a Rádio Cidade no topo da tela!)



O secretário explicou, que desde de o início do ano, o Governo do Estado de Minas Gerais, não tem repassado os recursos para manter as atividades do centro, ficando tudo ao encargo do município, que acaba tendo que se desdobrar para custear as despesas sozinho, visto que o projeto do Viva a Vida, ou CEAE é um projeto do governo de Minas, ou seja, estadual. Cid Pinheiro destacou que antes de São Lourenço tomar a decisão de restringir os serviços, houveram diversas tentativas de acordo com os 24 municípios que utilizam o centro e que juntos enviam cerca de 2.500 pacientes para o projeto, porém, nenhum deles aceitou o rateio para custear as despesas do tratamento, ou seja, todos querem usar, não querem que feche, porém também encontram-se impossibilitados de ajudar, o que para a nossa reportagem, foi uma surpresa, visto que estes pacientes, que necessitam dos tratamentos do Viva a Vida, não poderão ser mais atendidos, um verdadeiro descaso para com a saúde destes pacientes que deveria ser por obrigação prioridade para cada uma destas cidades e seus governantes.

Em tempo, Cid Pinheiro citou que ainda não existem previsões para que o funcionamento do CEAE volte a normalidade em São Lourenço, que está dependente dos repasses atrasados por mais de quatro meses pelo estado, já que não houve acordo com as cidades da micro região de São Lourenço que abrange os municípios de São Lourenço, Aiuruoca, Alagoa, Baependi, Carmo de Minas, Carvalhos, Caxambu, Conceição do Rio verde, Cristina, Cruzília, Dom Viçoso, Itamonte, Itanhandu, Jesuânia, Lambari, Minduri, Olímpio Noronha, Passa Quatro, Pouso Alto, São Sebastião do Rio Verde, Seritinga, Serranos, Soledade de Minas, Virgínia.

Da Redação do Popular.net

 Publicidade