SEAP AMPLIA PRESÍDIO DE SÃO LOURENÇO, INAUGURA GALPÃO DE TRABALHO E PROMOVE FESTIVAL DE MÚSICA - O Popular.net
Duas inaugurações e um festival de música foram realizados no último sábado, dia 27 de maio, em São Lourenço, no Sul de Minas. Os eventos fazem parte das políticas de ressocialização dos detentos e humanização do cumprimento de penas nas unidades prisionais administradas pela Secretaria de Estado de Administração Prisional (SEAP).
No Presídio de São Lourenço, foi inaugurado oficialmente um galpão de 220m². Nele, já trabalham detentos na produção de jogos pedagógicos em madeira, por meio de uma parceria com a empresa Maninho Artesanatos. A unidade prisional recebeu também um novo bloco com duas celas e capacidade para 72 presos do regime semiaberto.

O Festival da Canção Prisional (FestiPri 2017) reuniu 36 detentos de oito unidades prisionais e uma APAC (Associação de Proteção e Assistência ao Condenado) no auditório da Faculdade São Lourenço. As músicas e letras são de autoria dos presos e foram avaliadas por um júri composto de professores, músicos, um defensor público e a secretária da Faculdade São Lourenço. O estilo é variado: gospel, sertanejo, rap, pagode e MPB.
Estiveram presentes nos eventos o Secretário de Estado de Administração Prisional, Francisco Kupidlowski; o Chefe de Gabinete, Major PM Edmar; a Subsecretária de Humanização do Atendimento, Emília Castilho; a Superintendente de Atendimento, Louise Passos Leite; o Auditor da Unidade de Controle Interno, Lincoln Teixeira; o Diretor Referência Prisional da 17ª RISP (Região Integrada de Segurança Pública) e do Presídio de Itajubá, Rodney Dantas; e o diretor do Presídio de São Lourenço, Rafael Barbosa Ribeiro.
Expansão

As duas inaugurações no Presídio representam ampliação de vagas no Sistema Prisional e abertura de frentes de trabalho para os detentos. O Secretário Francisco Kupidlowski ressaltou que, desde a criação da SEAP, em junho do ano passado, todos têm se empenhado nas três principais metas da administração: segurança, valorização do servidor e humanização do Sistema Prisional. “Aqui temos dois empresários que estão exercendo o papel de cidadãos. A inauguração desse galpão é resultado de uma parceria estabelecida entre o Estado e a Maninho Artesanatos”, disse Kupidlowski sobre o investimento de pai e filho, Aristides e Marcelo Guimarães, na construção do local e instalação de máquinas em terreno do Presídio de São Lourenço.
A empresa emprega atualmente 18 presos. A meta é atingir 60. São 20 tipos diferentes de jogos com uma produção de aproximadamente trezentas peças por dia: dominós, liga números, jogo da memória, alfabeto ilustrado, jogo da idade, jogo da sombra, entre outros. Para isso, na oficina funcionam 10 máquinas, como serras, lixadeiras e uma de embalagem a vácuo.



“A qualidade dos jogos produzidos pelos recuperandos é a mesma da nossa fábrica”, afirma o empresário Marcelo Guimarães, que já garantiu ao detento Reginaldo Cândido Tavares, de 33 anos, contratá-lo para trabalhar na matriz tão logo tenha a progressão de regime para o semiaberto, o que está previsto para acontecer em fevereiro de 2018. “Essa é uma oportunidade para poucos. Um sinal de confiança em mim e na minha capacidade. Espero que essa atitude possa inspirar outros empresários da cidade”, comenta Reginaldo. Os detentos têm direito à remição de pena. Para cada três dias trabalhados, um a menos na pena. Eles também recebem ¾ do salário mínimo.

Além do galpão de trabalho, a equipe da SEAP também inaugurou as duas celas do regime semiaberto construídas com verbas do Tribunal de Justiça e do Ministério Público, respectivamente, de R$ 35.045,00 e R$ 15.000,00. O dinheiro foi gerenciado pelo Conselho da Comunidade, e o projeto é assinado por um engenheiro da Prefeitura de São Lourenço.
O juiz da Comarca de São Lourenço, Fábio Garcia Macedo Filho, avalia a entrega das duas celas como “uma oportunidade para os presos cumprirem a pena de forma digna e humana”. O local será destinado somente para os do regime semiaberto, separados dos demais detentos, o que proporcionará mais segurança para o Presídio. Esses presos saem pela manhã para trabalhar e retornam à noite.
Na solenidade, compareceram representantes do Ministério Público, da Polícia Militar, da Polícia Civil e da Prefeitura de São Lourenço.
Música

O primeiro lugar do Festival da Canção Prisional 2017 (FestiPri) foi conquistado pela detenta Keice Cristiane Oliveira Alves com o rap “Perdão, Mãe”. O nome artístico da recuperanda é Keissy MV (Mensageira da Verdade). Ela conta que já escreveu mais de 150 músicas no cárcere. A canção vencedora nasceu em uma madrugada de setembro de 2016. “Estava com insônia e morrendo de saudade da minha mãe. Escrevi uma carta para ela, que me inspirou para a letra. Não consigo segurar a emoção. Agora, só penso nela”, disse logo após receber o troféu.

O Presídio Feminino de Caxambu ficou em segundo lugar. E o de Baependi, em terceiro. A categoria especial melhor intérprete também foi para Caxambu. Os detentos foram julgados nos quesitos letra, música e originalidade.


Com informações da ASCOM /SEAP

SEAP AMPLIA PRESÍDIO DE SÃO LOURENÇO, INAUGURA GALPÃO DE TRABALHO E PROMOVE FESTIVAL DE MÚSICA

Duas inaugurações e um festival de música foram realizados no último sábado, dia 27 de maio, em São Lourenço, no Sul de Minas. Os eventos fazem parte das políticas de ressocialização dos detentos e humanização do cumprimento de penas nas unidades prisionais administradas pela Secretaria de Estado de Administração Prisional (SEAP).
No Presídio de São Lourenço, foi inaugurado oficialmente um galpão de 220m². Nele, já trabalham detentos na produção de jogos pedagógicos em madeira, por meio de uma parceria com a empresa Maninho Artesanatos. A unidade prisional recebeu também um novo bloco com duas celas e capacidade para 72 presos do regime semiaberto.

O Festival da Canção Prisional (FestiPri 2017) reuniu 36 detentos de oito unidades prisionais e uma APAC (Associação de Proteção e Assistência ao Condenado) no auditório da Faculdade São Lourenço. As músicas e letras são de autoria dos presos e foram avaliadas por um júri composto de professores, músicos, um defensor público e a secretária da Faculdade São Lourenço. O estilo é variado: gospel, sertanejo, rap, pagode e MPB.
Estiveram presentes nos eventos o Secretário de Estado de Administração Prisional, Francisco Kupidlowski; o Chefe de Gabinete, Major PM Edmar; a Subsecretária de Humanização do Atendimento, Emília Castilho; a Superintendente de Atendimento, Louise Passos Leite; o Auditor da Unidade de Controle Interno, Lincoln Teixeira; o Diretor Referência Prisional da 17ª RISP (Região Integrada de Segurança Pública) e do Presídio de Itajubá, Rodney Dantas; e o diretor do Presídio de São Lourenço, Rafael Barbosa Ribeiro.
Expansão

As duas inaugurações no Presídio representam ampliação de vagas no Sistema Prisional e abertura de frentes de trabalho para os detentos. O Secretário Francisco Kupidlowski ressaltou que, desde a criação da SEAP, em junho do ano passado, todos têm se empenhado nas três principais metas da administração: segurança, valorização do servidor e humanização do Sistema Prisional. “Aqui temos dois empresários que estão exercendo o papel de cidadãos. A inauguração desse galpão é resultado de uma parceria estabelecida entre o Estado e a Maninho Artesanatos”, disse Kupidlowski sobre o investimento de pai e filho, Aristides e Marcelo Guimarães, na construção do local e instalação de máquinas em terreno do Presídio de São Lourenço.
A empresa emprega atualmente 18 presos. A meta é atingir 60. São 20 tipos diferentes de jogos com uma produção de aproximadamente trezentas peças por dia: dominós, liga números, jogo da memória, alfabeto ilustrado, jogo da idade, jogo da sombra, entre outros. Para isso, na oficina funcionam 10 máquinas, como serras, lixadeiras e uma de embalagem a vácuo.



“A qualidade dos jogos produzidos pelos recuperandos é a mesma da nossa fábrica”, afirma o empresário Marcelo Guimarães, que já garantiu ao detento Reginaldo Cândido Tavares, de 33 anos, contratá-lo para trabalhar na matriz tão logo tenha a progressão de regime para o semiaberto, o que está previsto para acontecer em fevereiro de 2018. “Essa é uma oportunidade para poucos. Um sinal de confiança em mim e na minha capacidade. Espero que essa atitude possa inspirar outros empresários da cidade”, comenta Reginaldo. Os detentos têm direito à remição de pena. Para cada três dias trabalhados, um a menos na pena. Eles também recebem ¾ do salário mínimo.

Além do galpão de trabalho, a equipe da SEAP também inaugurou as duas celas do regime semiaberto construídas com verbas do Tribunal de Justiça e do Ministério Público, respectivamente, de R$ 35.045,00 e R$ 15.000,00. O dinheiro foi gerenciado pelo Conselho da Comunidade, e o projeto é assinado por um engenheiro da Prefeitura de São Lourenço.
O juiz da Comarca de São Lourenço, Fábio Garcia Macedo Filho, avalia a entrega das duas celas como “uma oportunidade para os presos cumprirem a pena de forma digna e humana”. O local será destinado somente para os do regime semiaberto, separados dos demais detentos, o que proporcionará mais segurança para o Presídio. Esses presos saem pela manhã para trabalhar e retornam à noite.
Na solenidade, compareceram representantes do Ministério Público, da Polícia Militar, da Polícia Civil e da Prefeitura de São Lourenço.
Música

O primeiro lugar do Festival da Canção Prisional 2017 (FestiPri) foi conquistado pela detenta Keice Cristiane Oliveira Alves com o rap “Perdão, Mãe”. O nome artístico da recuperanda é Keissy MV (Mensageira da Verdade). Ela conta que já escreveu mais de 150 músicas no cárcere. A canção vencedora nasceu em uma madrugada de setembro de 2016. “Estava com insônia e morrendo de saudade da minha mãe. Escrevi uma carta para ela, que me inspirou para a letra. Não consigo segurar a emoção. Agora, só penso nela”, disse logo após receber o troféu.

O Presídio Feminino de Caxambu ficou em segundo lugar. E o de Baependi, em terceiro. A categoria especial melhor intérprete também foi para Caxambu. Os detentos foram julgados nos quesitos letra, música e originalidade.


Com informações da ASCOM /SEAP